• Rachel Serodio

Novos tempos pedem por novos começos

Atualizado: 13 de ago. de 2020

Por que decidimos mudar o nome, a comunicação e a identidade visual do escritório.

Compreendemos que a linguagem jurídica não é acessível para a maioria das pessoas. Basta ler uma lei ou uma sentença pra entender o porquê disso. São muitos jargões, muitas palavras difíceis. Simplificar essa linguagem para possibilitar um diálogo fluido é um grande desafio para quem trabalha com o sistema de justiça. Como advogada, é do meu interesse que as pessoas que eu atendo se sintam inseridas e ativas em todas as etapas do processo. Isso humaniza, dá confiança e acolhe quem precisa de nós.


Essa simplicidade na comunicação sempre foi importante para o trabalho do escritório. Mas percebemos que isso não era representado 100% em nossas redes, na nossa marca, no nosso jeito de falar. Por isso, decidimos mudar.


Iniciamos, hoje, um novo capítulo da história do escritório para aliar nossos conhecimentos a uma linguagem ainda mais acessível, com uma roupagem mais leve e um visual amigável para levar conhecimento jurídico sob várias perspectivas às pessoas que nos acompanham.


O objetivo principal aqui é que você possa ter acesso a diversas possibilidades e contextos jurídicos, seja por prevenção, por expansão de informações ou até mesmo por de fato estar vivenciando algum conflito. Quero possibilitar seu acesso de forma mais ampla às informações legais com orientações possíveis que te tornem protagonista de sua vida e de suas decisões.


Esses motivos talvez já fossem suficientes para uma mudança. Mas, nossa equipe também decidiu mudar por outra razão. Há anos, atuamos em causas familiares. O Direito das Famílias é um ponto chave do trabalho do nosso escritório. Junto com ele veio o Direito da Mulher. Apesar das conquistas de muitos espaços importantes, a sociedade continua legitimando violências. Em casa, no trabalho, nas ruas. Aliada a isso, a lógica patriarcal persiste e precisamos estar atentes em suas reproduções nos espaços. A pergunta aqui é: se as relações reproduzirem sempre o poder da cis heteronormatividade, como a autonomia dos demais se desenvolverá em todo seu potencial?


Questionando tudo isso, a gente decidiu se posicionar ainda mais e oferecer um espaço acolhedor para todas, todes e todos. Um lugar de informação, escuta, diálogo, entendimento e afeto. É para construir esse ambiente que estamos aqui. 


Vem com a gente!

33 visualizações0 comentário